melado de cana ou mel ?

São os 2 adoçantes naturais mais populares para você que, inteligentemente passa ao largo do açúcar refinado e seus derivados.

Melado é a versão líquida da rapadura, excelente, alimento importantíssimo no nosso sertão e agreste – atualmente disponível inclusive em versões orgânicas de cultivo sustentável.
O mel é um alimento medicinal usado desde o início dos tempos com propriedades expectorantes, laxativas, depurativas e relaxantes reconhecidamente comprovadas, de sabor inconfundível, é a opção de todo urso antes de hibernar no inverno, em função de seu alto valor energético
O mel é o único alimento que contempla os 5 sabores medicinais listados na medicina tradicional chinesa: ácido, picante, doce, salgado e amargo, além de nunca estragar e deteriorar e, por todas essas propriedades, é usado largamente pela medicina tradicional indiana para inúmeros fins, mas principalmente ajudando a digerir derivados lácteos, o que reduz a absorção de muco, diminuindo incidência alérgica, estados depressivos e desenvolvimento de todos os tipos de câncer.

Do ponto de vista ambiental, a coisa fica um pouco mais complicada.
O mel é um alimento de origem animal, o produto desenvolvido pelas abelhas para alimentar toda a colméia, o que torna seu consumo complicado por definição, já que para alimentar um grupo (humano), implica a privação de outro (abelhas), além de todo o impacto ainda não estudado no ecosistema do entorno, principalmente quando há cultivos transgênicos nas proximidades.
Veganos não consomem mel por considerarem crueldade animal com o um grupo que não pode se defender e tampouco estava adaptado a alimentar outro grupo, como nós.
Eu achava exagero, mas comecei a pesquisar o assunto e vi que eles têm sua razão e, em virtude da apicultura, inclusão de abelhas africanas no Cerrado e até o uso de pesticidas por nós, as abelhas estão desenvolvendo vírus, sendo extintas e até desaparecendo em algumas regiões.

O fenômeno acontece nos Estados Unidos. Mais da metade dos estados perderam entre 50% e 90% das abelhas – e haja abelha. Em todo o país, são 2,4 milhões de colméias comerciais, cada uma com cerca de 30 mil abelhas. O grande mistério é que não há corpos. Elas simplesmente desaparecem.

As abelhas são vitais para o ser humano. Essenciais para a agricultura, elas polinizam cerca de 90 tipos de frutas, vegetais e a soja. Assim, os vegetais crescem fortes e ricos em vitaminas. “Sem as abelhas, o homem pode desaparecer em quatro anos”, disse Albert Einstein, numa previsão catastrofista, na primeira metade do século 20.

Os apicultores, criadores de abelhas, foram os primeiros a alertar para a mortalidade anormal dos insetos. Eles acusam agricultores de utilizar grandes quantidades de pesticidas, para proteger suas plantações. Os produtos químicos seriam, então, os assassinos. Mas cientistas também descobriram que as colônias estavam sendo atacadas por vírus e fungos, além de um parasita chamado Varroa destructor, uma espécie de ácaro, que tem o pouco simpático apelido de “vampiro de abelhas”. Até agora, cada um defendia sua teoria, mas ninguém conseguia uma prova definitiva contra os suspeitos.

As abelhas são usadas como indicadores de diversidade biológica e qualidade ambiental, já que são extremamente sensíveis ao meio. A extinção deste grupo é uma grave perda para os ecossistemas, pois são os maiores polinizadores da natureza. Nos biomas neo-tropicais são freqüentes espécies vegetais polinizadas por apenas poucas espécies de abelhas, relações essas bastante estreitas, moldadas ao longo de processos co-evolutivos que geram a interdependência das espécies. Nestes casos, a extinção dos polinizadores específicos pode levar à extinção da planta, no Havaí, por exemplo, a extinção de polinizadores nativos já impede a renovação natural da vegetação.

Do ponto de vista nutricional, o melado é inclusive mais rico em todos os sais minerais, com avantagem de ser menos calórico. A tabela abaixo faz uma interessante análise comparativa e foi extraída do livro de Sonia Hirsch, “O mínimo para você se sentir o máximo”:

Mel  x  Melado  (1 colher rasa)
Mel x Melado
Calorias:         64 x 43
Carboidratos:  17 x 16g
Cálcio:           1.0 x 136mg
Ferro:            0.1 x 3.0 mg
Magnésio:       0.5 x 51mg
Potássio:        11 x 585mg
Cobre:            0.0 x 0.3mg
Selênio:          0.2 x 12 mg

Não acredito que as pessoas devam privar-se de mel para o resto da vida, mas espero que o façam como sempre foi feito por aqueles que nos antecederam nessa terra que preservamos para os que estão por vir, com critério.

O problema não é consumir o mel, mas fazê-lo de forma consciente, em comunhão com o meio, levando em consideração seu impacto. Em pouca quantidade, quando for estritamente necessário, nunca como um substituto de sobremesas, cobrindo dúzias de bananas, adoçando à xícaras bolos e sobremesas. A alimentação saudável e livre de açúcar nunca cobraria uma conta dessas do planeta.
A apicultura em larga escala é claramente insustentável e está impactando em nossos plantios e cultivos.

Abaixo, 2 receitas de remédios naturais em base de mel de abelhas, impossíveis de serem substituídas por melado de cana, ou quaisquer outras formas de xarope ou adoçantes naturais:

Brahmastra para curar gripes e resfriados:
0,5 lt de água
1 col de sopa de mel de abelhas
1 pau de canela
3 cravos da Índia
1 pitada de pimenta
1 “dedinho” de gengibre
sumo de 1 limão
Ferver todos os ingredientes, exceto o limão. Apagar o fogo, esperar esfriar um pouco, espremer o limão e tomar ainda quente. Não deve ser ingerido por gravidas, pode causar aborto espontâneo.

Trikatu, principal composto estimulante ayurveda, cuja tradução do sânscrito significa “três temperos”
(dica da Syl, amiga querida desse blog)
1 parte de gengibre em pó,
1 parte de canela em pó,
1 parte de pimenta do reino moida grossa (ou curcuma)
1 parte de mel.
Ingerir 1 colherzinha de café 2-3 vezes ao dia quando fores comer pratos com leite ou para prevenir o peso em dias frios e chuvosos.
O Trikatu ainda é formidável para quando começamos a desenvolver gripes e resfriados. Trikatu é um anti-muco e pó digestivo que são usados para melhorar função gástrica e respiratória. É útil em casos de obesidade, digestão fraca, alto colesterol, altos triglicerídeos, hipotireoidismo, metabolismo lento, congestão, tosse, e edema.
Como contém frutas de pimenta preta (Flautista Nigrum), indiano pimenta longa (Flautista Longum) e os rizomas de gengibre (Zingiber Officinalis), é uma combinação comum que é usada para estimular e para manter os sistemas digestivos e respiratórios. Igualmente afrodisíaco, fortalece-se funções reprodutivas, aquece, e estimula os órgãos reprodutivos.
Trikatu é um seguro digestivo estimulante e expectorante. É antialergênico, carminative, antiflatulência, e atua como um anti-histamínico natural. Ajuda a impedir distensão gasosa.

Trikatu idealmente é tomado uma hora antes de cada refeição numa dose de ½ a 1 colher de chá. Também pode ser tomado junto com ou depois de uma refeição. Como Trikatu tem um gosto pungente, melhor é consumido misturado com mel numa pasta grossa.

Sobre o Agave Azul, considerado o mel vegetal mexicano, é bom produto, até por ser vegetal e isento de sacarose.
Agave Azul é uma planta derivada da Agave, da família do nosso Sisal, cujo cultivo já rende o desenvolvimento de um adoçante natural e orgânico. Toda suculenta rende um xarope, alguns agradáveis (como o agave e o sisal), outros não, como a maioria dos cactus.
Atente para uma coisa, quanto maior a distância que determinado produto exige para percorrer, maior o impacto dele no meio ambiente. Em “O mundo é o que você come”, fica bem claro que a melhor dieta a ser seguida é a dos 150km, consumir o que é produzido localmente, evitando assim que áreas nativas sejam devastadas para atender à demanas internacionais de cultivos orgânicos e ainda, não emitindo excesso de CO2 na logística de transporte.

Caldo de Cana Engorda?

Quem resiste ao caldo de cana junto com aquele pastel delicioso? Quando buscamos uma alimentação saudável, devemos fazer escolhas mais adequadas aos nossos objetivos. Mas é exatamente quando abrimos mão de algumas delícias e nos sentimos frustrados. O caldo de cana remete imediatamente ao salgado ou pastel, mas será que compromete o equilíbrio do organismo? Será que o caldo de cana deve ser excluído de uma dieta equilibrada? Será que o caldo de cana engorda?

É importante desvincular os alimentos e analisá-los de forma isolada, para que seus nutrientes sejam reconhecidos e utilizados de forma funcional para seus objetivos. Iremos nos deliciar diante da descrição dos benefícios que essa bebida pode nos proporcionar e descobrir se o caldo de cana engorda ou não.

Rico em vitaminas

O que muitas pessoas teriam dificuldade de acreditar, é que o caldo de cana possui inúmeras vitaminas e nutrientes. Ele oferece alta quantidade de vitamina A, C, vitaminas de complexo B (B1, B2, B3, B5, B6), e ainda diversos sais minerais, como Zinco, Ferro, Cálcio, Manganês, Fósforo, Potássio, dentre outros. Um copo de 300ml de caldo de cana contém 233 calorias. Não se assuste com as calorias, em uma dieta equilibrada, as exceções não prejudicam os resultados traçados, especialmente se consumido em um dia onde você esteja mais fisicamente ativo.

O Caldo de cana e seu baixo índice glicêmico

O caldo de cana possui propriedades similares com o açúcar refinado, mas seus teores de açucares são diferentes. O índice glicêmico é 43, o que nos mostra que não é correto afirmar que caldo de cana engorda sempre. Ele pode ser uma fonte de energia bem interessante, sem grandes picos de insulina no organismo. Evidentemente que o seu consumo excessivo pode sim comprometer a redução de peso. Como com toda a alimentação, é importante dosar a ingestão de carboidrato e açúcar, mas nada de dietas radicais, o caldo de cana possui funcionalidades importantes para a sua saúde.

Seu efeito antioxidante

O caldo de cana proporciona maior segurança para seu organismo diante de radicais livres. Esses radicais aceleram o envelhecimento celular. O caldo de cana atua como um protetor celular, o que retarda o efeito desses radicais, assim garantindo a longevidade celular. O poder antioxidante auxilia no tratamento de cataratas, problemas no sistema nervoso e Doença de Alzheimer.

Fonte de energia para exercícios físicos

O carboidrato contido no caldo de cana pode servir como fonte energética para um melhor rendimento em suas atividades físicas. A redução de peso não se limita apenas a uma alimentação equilibrada, uma rotina de exercícios oferece a garantia de resultados. As 18,2g de carboidrato contidas em cada 100ml de caldo de cana podem assustar ou intimidar a escolha para um cardápio, mas deve-se pensar sobre a sua rotina.

Se você é uma pessoa que possui uma rotina ativa, o carboidrato oferecido pelo caldo de cana pode lhe proporcionar maior resistência física nos exercícios, pode repor a reserva de glicogênio de seus músculos. A ingestão deve ser dosada, como com qualquer alimento, mas a recuperação muscular é garantida. Evidentemente que quando consumido sem controle, o caldo de cana engorda. Como com qualquer alimento, é importante dosar as ingestões manter o controle para que o corpo se mantenha equilibrado e saudável. Para se deliciar com a bebida, o fundamental é saber quando parar.

Higiene é fundamental

O liquido é extraído da cana de açúcar e pode ser facilmente encontrado. Quem resiste? Sabemos que o sabor é tentador, mas é importante atentar para a higienização do local de preparo. Normalmente a venda do caldo de cana é feita em ambientes externos, o que pode ocasionar contaminações que poderiam ser evitadas. É importante atentar para as calorias do caldo de cana, mas a higiene é indispensável na alimentação, reduzindo a probabilidade de contrair uma doença.

PUBLICIDADE

Melhor horário para tomar o caldo de cana

As escolhas de refeições para inserir o caldo de cana são importantes para não prejudicar os resultados almejados. O consumo do caldo de cana deve ser dosado e equilibrado com uma porção adequada de proteínas. O caldo de cana pode ser utilizado como fonte energética, se consumido no início do dia, nas primeiras refeições diárias e como bebida pré-treino, garantindo disposição para um treino perfeito.

Combinações com caldo de cana para emagrecer

Não é porque o consumo do caldo de cana não é recomendado com frequência, que você não pode criar combinações deliciosas. Sabemos que muitas pessoas chupam a própria cana e outras que preferem tomar o caldo de forma natural, mas você pode unir a funcionalidade do caldo de cana com os nutrientes de outros alimentos.

O caldo de cana combina muito bem com frutas cítricas, o que proporciona um sabor singular e delicioso para sua refeição se tornar especial. Se quer fazer um suco com caldo de cana que não engorda, experimente misturar 100ml de caldo de cana com 150ml de água e um limão espremido. O cítrico anula um pouco do doce da cana e você tem uma suco diferente com cerca de 70 calorias.

Considerações finais

O caldo de cana é de fato extremamente calórico, com uma densidade de carboidratos muito elevada. O caldo de cana não combina muito com dietas para emagrecer, no entanto, pode fazer parte de sua alimentação se você moderar na quantidade e escolher bem o horário que o toma. Se não houver moderação, e se o consumo for frequente, o caldo de cana engorda sim. O que contribui para o caldo de cana engordar mais ainda é o fato de que normalmente o tomamos com um pastel ou outro salgado.

 

Rapadura Engorda? Calorias e Análise 

O sumo da cana de açúcar, tal como o açúcar que adoça bebidas e é utilizado na culinária para preparação de sobremesas e outras receitas, é um alimento extremamente completo e pode aparecer em diversos formatos, sendo uma das mais conhecidas a rapadura. Na Europa o alimento é conhecido como açúcar mascavado, em que o sumo da cana de açúcar evaporado pode variar em textura e sabor, diferenciando-se, portanto, do açúcar branco refinado.

A rapadura é considerada uma alternativa natural ao açúcar do caldo de cana e é muito utilizada em países da América Latina. O processo de fabricação da rapadura é considerado mais simples do que o da cana evaporada, sendo que basicamente na rapadura a cana de açúcar é fervida para remover a água existente em sua composição, tornando-a um alimento compacto e sólido. O seu consumo moderado não traz nenhum impacto negativo à saúde humana.

Por não passar pelo processo de refinamento do açúcar branco refinado tradicional, é uma escolha mais saudável para adoçar bebidas e preparar receitas, pois mantém os nutrientes originais da cana de açúcar. Porém, isso não significa que é um açúcar orgânico e natural, mas que não passou por um processo industrial de filtragem e purificação para se tornar branco e refinado.

Além disso, ao consumir a rapadura você pode contribuir com o meio ambiente, uma vez que sem a realização do processo de refino do açúcar, se economiza água e energia e os impactos são reduzidos.

Portanto, esse açúcar não é necessariamente menos calórico do que o branco refinado, entretanto é mais natural e causa menos danos à saúde. De qualquer forma, será que a rapadura engorda?

 

Rapadura engorda?

A raparadura obtida através da cana de açúcar é considerada um suplemento alimentar por muitas pessoas, por ser altamente nutritivo, rica em minerais e fornecer energia para o corpo. Assim, a rapadura pode melhorar o condicionamento físico e saúde em geral, pois é um adoçante natural, mais saudável que o açúcar refinado que é carregado de substâncias não muito saudáveis ao organismo. Mas será que a rapadura engorda? Por ser rica em açúcar natural, ela tem sim muitas calorias, porém, como não é um produto consumido frequentemente e sim de forma esporádica, pode-se manter o alimento no cardápio.

Na região nordeste do Brasil é consumido diariamente pelos sertanejos que trabalham na roça e utilizam a rapadura para dar energia para o dia árduo de trabalho; eles usam-na para adoçar o café, como sobremesa ou com farinha. Para eles, que possuem uma rotina intensa braçal, a rapadura traz boas doses de energia por ser a melhor fonte de carboidratos com as calorias essenciais para gasto dos músculos.

Algumas versões de rapadura podem levar mel, erva-doce, cravo ou canela, até mesmo laranja e tangerina para aromatizar. O açúcar da rapadura tem boa proporção de glicose e é mais difícil de adoçar do que a versão cristalizada, mas pode ser utilizada raspada para tornar a alimentação mais saudável e nutritiva.

PUBLICIDADE

Na preparação de cocada e bombons, a rapadura pode ajudar a tornar o produto mais saudável para ser consumido, sendo um ótimo substituto de outras guloseimas, mas lembre-se que o ideal é não exagerar. Mas de vez em quando, uma rapadura raspada não faz mal a ninguém, e pode ser uma opção interessante e natural em substituição aos adoçantes.

Algumas pessoas podem argumentar que não seria correto falar que rapadura engorda, já que ela tem 70 calorias por unidade. De certa forma, o pensamento é até válido. Especialmente se a pessoa come apenas uma unidade e de forma esporádica. O problema é que acaba-se comendo muitas unidades. E quando se faz isso de forma frequente, a situação fica ainda pior. Você estará consumindo uma bomba de calorias se exagerar na dose e por isso seria mais correto considerar que rapadura engorda sim, principalmente se não tomar cuidado.

Tabela nutricional e calorias

Fatos Nutricionais por 1 unidade (20g)
Energia 70 calorias
Carboidratos 18,15 g
Açúcar 17,94 g
Proteínas 0 g
Gorduras 0 g
Gordura Saturada 0 g
Gordura Monoinsaturada 0 g
Gordura Poliinsaturada 0 g
Colesterol 0 mg
Fibras 0 g
Sódio 7 mg
Potássio 65 mg

A rapadura é completamente composta por carboidratos, sem a presença de proteínas e nem gorduras.

Como é produzida?

A rapadura é produzida na fervura do caldo de cana em velocidade lenta, que depois da evaporação do líquido é convertido em um formato quadrado e compacto até o seu esfriamento e endurecimento.

O açúcar mascavo tem o mesmo processo, a diferença é que ele não é modelado em blocos e se torna um açúcar petrificado ao final da fervura. Tem uma coloração que vai do caramelo claro ao marrom escuro e um sabor bem peculiar. Tem alto valor calórico, mas é rico em vitaminas A, C, cálcio e minerais, diferente do refinado branco, que não contém nenhuma vitamina nem mineral.

Em alguns estados do Brasil, a rapadura é parte integrante da dieta alimentar infantil, como na Paraíba, Ceará e Pernambuco. A presença de algumas fibras insolúveis, riboflavina, niacina, cálcio, ferro, magnésio e potássio ajudam a quebrar os açúcares presentes no organismo, melhorando a absorção. Sabe-se que duas colheres de sopa de rapadura têm 111 calorias.

Validações

Existem muitos açúcares mascavos disponíveis no mercado, e alguns deles têm sido transformados em açúcar branco, e em seguida em melaço, com uma coloração levemente caramelada. Todos os açúcares marrons que foram processados ​​naturalmente para manter a sua verdadeira cor marrom contêm conteúdo nutricional semelhante. Açúcares marrons naturais que não tenham sido totalmente processados geralmente são mais nutritivos do que o açúcar branco refinado.

A Comissão Internacional de Métodos Uniformes de Análise de Açúcar é a autoridade competente responsável pela classificação do açúcar de acordo com a cor dos cristais e é reconhecida em seus 30 países membros. Os padrões dessa Comissão também são universalmente reconhecidos pela União Europeia e os EUA Food Chemicals Codex.

De acordo com o estabelecido pela comissão, a cor do açúcar é classificada de acordo com “unidades de base de referência”. Geralmente, quanto maior a unidade, melhor será a qualidade da classificação açúcar. O Instituto do Açúcar e do Álcool no Brasil afirma que quanto maior a classificação da unidade de base de referência, menor a qualidade do açúcar.

Rapadura natural

O açúcar mascavo natural foi classificado de acordo com a cor marrom dourada dos seus cristais. A cor de açúcar mascavo é registrado com 8.000 a 11.000 unidades de base de referência. O processo de co-cristalização de açúcar mascavo natural ou rapadura é um procedimento especializado que garante a sua cor, sabor e maciez sejam preservados. A rapadura ou o caldo de cana cristalizado tem cristais muito finos que tendem a atrair umidade, resultando numa textura particularmente macia.

Processamento

Não há substâncias químicas nocivas utilizadas durante o processamento de açúcar mascavo natural (rapadura). Floculantes, surfactantes, modificadores de viscosidade e agentes de branqueamento que podem ser utilizados para processar o açúcar branco refinado são completamente ausentes no processamento da rapadura.

Outros produtos químicos que são potencialmente prejudiciais, como o dióxido de enxofre, ácido fórmico e ácido fosfórico, são utilizados também não são utilizados. O processo de criação da rapadura é completamente natural para manter o máximo das propriedades presentes na cana-de-açúcar natural, incluindo vitaminas e minerais.

Informações nutricionais

Uma única colher de sopa de açúcar mascavo natural produz apenas 11 calorias. A cada 100 gramas de açúcar mascavo natural contém 100 mg de potássio; 85 mg de cálcio; 23 mg de magnésio; 3,9 mg de fósforo; e 1,3 mg de ferro. O total presente de sal mineral no açúcar mascavo natural é um máximo de 740 mg. Em 220 gramas de rapadura existem 216 g de carboidratos e apenas 0,3 mg de proteína.

Vitaminas e minerais

Uma xícara de açúcar mascavo natural irá produzir: 0,2 mg niacina; 0,1 mg de vitamina B6; 2,2 mg de ácido fólico; 0,3 mg de ácido pantotênico; 5,1 mg de colina; 0,2 mg de betaína. A mesma porção também apresenta 183 mg de cálcio; 1,6 mg de ferro; 19,8 mg de magnésio; 8,8 mg de fósforo; 293 mg de potássio; 61,6 mg de sódio; 0,1 mg de zinco; 0,1 mg de cobre; 0,1 mg de manganês; e 2,6 mcg de selênio, além de ter propriedades antioxidantes que combatem diversas doenças ligadas ao envelhecimento das células.

Estas vitaminas, minerais e elementos são encontrados na cana-de-açúcar na época da colheita e são mantidos durante o processamento da rapadura natural.

BOLO DE LARANJA VEGANO

BOLO DE LARANJA VEGANO RECIPE

INGREDIENTES

  • 4 xícara de suco de laranja
  • Suco de 1 limão
  • 2 colheres de sopa de fermento em pó
  • 6 xícara de farinha de trigo
  • 2 xícara de açúcar mascavo
  • 1/2 xícara de melado de cana
  • 2 colheres de sopa de creme vegetal
  • 1 xícara de óleo

MODO DE PREPARO

  1. Misture a farinha e o açúcar mascavo e faça um buraco no centro. Coloque no meio os líquidos e o creme vegetal. Bata por 3 minutos. Acrescente o fermento, bata por 1 minuto em velocidade baixa. Coloque em uma forma untada e enfarinhada. Leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 40 minutos ou até que espetando um palito ele saia limpo.