Tag: Saude e Melado de Cana

As propriedades e benefícios do Melado para a saúde

Produzido através da cana de açúcar, o melado é rico em nutrientes como o ferro, que além de ajudar no aumento da ferritina, é ideal para mulheres grávidas, anêmicas e que perdem muito sangue na menstruação.
Além de cálcio e magnésio que previnem a osteoporose, doenças ósseas e crises de enxaqueca, também conta com potássio, cobre, selênio e manganês, protegendo o sistema digestivo, cardiovascular e o sistema nervoso; é antioxidante, excelente contra células cancerígenas e ainda contribui no equilíbrio do bom colesterol!
Graças ao seu conteúdo de hidratos de carbono, o melado também pode ser benéfico para as pessoas que realizam trabalhos excessivamente físicos ou mentais, sendo especialmente indicado para o consumo de esportistas.
Quer mais? Ele é um pouquinho menos calórico que o mel de abelha, no entanto, mesmo podendo ser consumido todos os dias, é bom ter moderação para não engordar.
Mas não se preocupe, ele naturalmente adoça muito em quantidades pequenas, além de ter praticamente a metade das calorias que o açúcar que normalmente compramos no mercado. É uma boa opção na hora de tirar o açúcar do nosso cardápio e cuidar mais da saúde.
Fique atenta: melado e melaço não são a mesma coisa. Este também é um subproduto da  cana-de-açúcar, mas tem qualidade inferior, é o líquido que se obtêm como resíduo de fabricação do açúcar cristalizado, do melado ou da refinação do açúcar bruto. É normalmente utilizado como alimento do gado ou na produção do álcool. Algo muito comum e que gera confusão é encontrar melado levando o nome de melaço. O mais importante é ler o rótulo e ficar atento se a marca escolhida é de confiança.

Benefícios do açúcar mascavo: razões para abandonar o branco

Parece que não adianta tentar fugir dele. Açúcar faz mal à saúde, mas é difícil imaginar a vida sem seu sabor. Aquele bolo gostoso no fim de semana, aquela sobremesa preferida e o contraponto perfeito para o amargo do café. A gente dá duro para evitar ao máximo e colocar o mínimo de colherinhas, mas quando sente o doce na boca, se rende exatamente ao grande problema do açúcar: ele vicia.

 

O ideal seria liberar o paladar dessa substância que pouco oferece ao organismo. Fruto de um intenso processo de transformação, ao açúcar pouco resta da sua rica origem – a cana. O doce que nosso corpo precisa está nos próprios alimentos, principalmente nos cereais integrais como o arroz ou tubérculos como a bata-doce e a beterraba.

Mas, às vezes, parece mais forte do que a gente e, de repente, só mesmo o doce do açúcar resolve. Nessas horas, é melhor ter à mão soluções menos prejudiciais e que oferecem algum tipo de benefício ao organismo. “O açúcar mascavo é semirefinado, ou seja, uma versão mais integral dos cristais de açúcar da cana e, por isso, preserva ainda vitaminas e minerais que no branco e no demerara já não existem mais”, afirma a nutricionista Priscila Lese.

Propriedades do açúcar mascavo

O açúcar mascavo é mais escuro, marrom ou dourado, exatamente porque ainda não perdeu o melaço da cana onde vivem quantidades significativas de cálcio, ferro, potássio e magnésio. “Quanto mais escuro o açúcar, mais vitaminas e minerais ele tem”, afirma Lese. Mas não se engane: ele continua sendo tão calórico e prejudicial quanto o branco e oferece as mesmas restrições de consumo aos diabéticos.

Ele também pode exigir um tempo até que nos acostumemos. Com mais personalidade do que a versão refinada, o açúcar mascavo tem gosto forte e interfere no sabor dos alimentos. “Mas o benefício principal da versão escura do açúcar faz valer a pena a troca”, garante a profissional. “Só o fato de ele não ter recebido o tratamento químico que os cristais branquinhos receberam já é motivo suficiente para investir na substituição”, garante a profissional.

Segundo a nutricionista, os aditivos químicos presentes no açúcar branco são verdadeiros inimigos da boa saúde e deveriam ser evitados sempre que possível. “Adotar a estratégia de ter apenas açúcar mascavo em casa é uma excelente maneira de reeducar nosso paladar e, aos poucos, encontrar o doce natural dos alimentos”, conclui a nutricionista.

caldo de cana – o suco natural com benefícios à saúde

Caldo de cana

O suco da cana é uma bebida muito apreciada na forma pura e também com a adição de limão, abacaxi ou outras frutas ácidas que contrastam com seu sabor adocicado. O caldo de cana dá origem aos diferentes tipos de açúcares de cana (como o demerara e o açúcar mascavo), bebidas alcoólicas como a cachaça e o rum, combustível etanol e subprodutos como a rapadura, o melado e fibra de cana.

caldo de cana: para que serve

O extrato ou caldo de cana é muito utilizado na medicina Ayurveda como terapia para diferentes doenças e sintomas. Por essa razão, muitos estudos foram realizados para verificar os benefícios do caldo de cana para a saúde. Em função da sua composição, os achados gerais foram:

  • Estímulo ao sistema imunológico
  • Melhora dos processos inflamatórios
  • Ação antitrombótica
  • Recuperação energética
  • Ação antioxidante

composição do caldo de cana

O caldo de cana ou a garapa é o líquido resultante do processo de moagem da cana de açúcar. O suco resultante dessa moagem (elétrica ou manual) da cana, quando consumido no momento ou pouco tempo depois do seu processamento, preserva todos os seus nutrientes, como:

  • Minerais, principalmente: ferro, cálcio, potássio, sódio, fósforo e magnésio
  • Vitaminas do complexo B, vitamina C e vitamina A
  • Carboidratos, dos quais: sacarose, glicose, frutose, amido
  • Proteína
  • Ácidos graxos

caldo de cana e exercício

O caldo de cana é considerado um alimento energético de alto índice glicêmico, por essa razão é utilizado como repositor de energia em atletas, utilizado no pós-treino e durante períodos de competição que demandam maior esforço físico com menor tempo de recuperação. A ideia principal é repor os estoques de glicogênio hepático e principalmente do glicogênio muscular, diminuindo a sensação de fadiga muscular e melhorando a recuperação dos tecidos.

caldo de cana engorda?

Assim como qualquer alimento ou produto, isoladamente, o caldo de cana não engorda. É importante saber que dentro da pirâmide alimentar, pelo seu alto conteúdo energético provindo principalmente pela glicose e frutose presentes naturalmente em sua composição, esta bebida pertence aos grupos de doces e açúcares, onde a recomendação presente na pirâmide alimentar brasileira é o consumo de 1 porção ao dia.

Porção caldo de cana 150ml (copo pequeno)

Calorias: 123Kcal

Açúcares: 30, 75g

caldo de cana faz mal?

Relatos de intoxicação alimentar após o consumo de caldo de cana estão ligados, principalmente, às condições higiênico-sanitárias do local de processamento, do manipulador e se a cana de açúcar foi higienizada e armazenada adequadamente antes de ser processada, por essa razão é importante estar atendo na hora de escolher o local de compra.

caldo de cana faz mal para gestantes?

O consumo de caldo de cana por gestantes deve ter atenção redobrada nas questões higiênico-sanitárias, pois contaminações e infecções causadas pelo consumo de alimentos inseguros podem ser prejudiciais para o bebe, por essa razão, muitos profissionais da saúde solicitam que o consumo do caldo de cana seja evitado durante este período. Outro fator que pode influenciar nesta restrição é a presença da diabetes gestacional que pode se desenvolver em algumas mulheres durante este período.

caldo de cana faz mal para diabetes?

Na diabetes os indivíduos necessitam fazer o controle da ingestão de alimentos ricos em açúcares e doces, como o caldo de cana de açúcar. Apesar de serem açúcares presentes naturalmente na cana de açúcar, a alta concentração de sacarose, glicose e frutose pode aumentar rapidamente a glicemia e desencadear crises, por essa razão, o consumo dessa bebida deve ser evitado, já que a porção de um copo pequeno (150 ml) possui cerca de 30g de açúcar de alto índice glicêmico.

caldo de cana faz bem para gripe?

Estudos já demonstraram que o consumo de caldo de cana pode melhorar e estimular o sistema imunológico e os processos inflamatórios, além disso, por ser um alimento energético pode ser consumido durante episódios de gripe ou resfriado

Como fazer melado de cana caseiro

Ivo dos Passos demonstra como se produz o melado de cana artesanal e orgânico, desde o corte e limpeza da cana até o aproveitamento do bagaço na agrofloresta.

Melado de cana previne anemia, osteoporose e é alternativa ao açúcar branco

Para garantir as propriedades nutricionais, consumo diário de melado é de uma colher de sopa
Nutritivo, natural e extremamente saudável, o melado de cana tem sido a opção de muitas pessoas na hora de adoçar bebidas como chás, sucos e cafés, bem como ingrediente na preparação de receitas como bolos, caldas e tortas. Rico em magnésio, potássio, selênio, manganês, ferro e cobre, seu consumo diário traz inúmeros benefícios para a #Saúde. Isso sem contar que, para aqueles que praticam atividade física, é um excelente energético ‘in natura’.

Apesar de ainda ser pouco utilizado no dia-a-dia, o uso do melado de cana vem aumentando gradativamente, principalmente com a procura cada vez maior dos chamados alimentos funcionais, que são aqueles que saciam a fome e, ao mesmo tempo, geram benefícios ao organismo.

No caso do melado, as vitaminas agregadas são bastante importantes. Por conter ferro e cobre, é ideal para combater anemias e também é um excelente ingrediente para ser inserido na alimentação de gestantes ou de pessoas que possuem uma menstruação muito intensa. O potássio é perfeito para combater câimbras, por ajudar a manter a circulação em ordem, além de auxiliar o sistema neurológico e cardiovascular.

Já o cálcio e o magnésio, outras vitaminas encontradas no melado, são fundamentais na manutenção dos ossos. Enquanto o cálcio mantém os ossos fortes, o magnésio ajuda a fixar este cálcio no osso. Por isso, o melado também é indicado para idosos e pessoas que possuem problemas de osteoporose e osteopenia. Tem ainda o manganês, que mantém o nível de colesterol na medida certa e, junto com o selênio, trabalha como antioxidante natural, combatendo o envelhecimento precoce, preservando o nosso sistema imunológico do ataque de doenças e prevenindo o aparecimento de células cancerosas.

Por essas e outras, o melado vem ganhando popularidade e se tornando uma alternativa perfeita para o açúcar branco (refinado), pois enquanto o primeiro contém muitas vitaminas, o segundo, por conta do processo de refinamento, transforma-se em um produto ácido ao organismo.

Resultado: para equilibrar esta acidez, o corpo ‘pega emprestado’ o cálcio disponível no corpo. Por isso, se você tem osteoporose ou tem tendência a ter, tire o açúcar branco da sua dieta, ou consuma o mínimo possível.

“O melado de cana, junto com o mel e a estévia natural tem algumas propriedades medicinais e são altamente nutritivos, podendo ser utilizados para adoçar qualquer coisa”, explica em seu blog a chef Bela Gil, apresentadora do programa Bela Cozinha, do GNT. Segundo ela, apesar dos benefícios, é bom ressaltar que o consumo não pode ser excessivo, limitando-se a uma colher de sopa por dia.

Mas engana-se quem pensa que o papel do melado de cana restringe-se somente a alimentação. Enquanto como alimento ele auxilia na prevenção e no escurecimento dos cabelos brancos, se misturado com óleo de amêndoas ele se transforma em um poderoso hidratante para os fios, deixando-os macios e sedosos..

Na fonte

Proveniente da cana de açúcar, o melado de cana é feito a partir da extração do caldo, que é levado ao fogo e aquecido por aproximadamente duas horas. Nesse período, ele libera o vinhoto ou vinhaça – uma espécie de resíduo – que deve ser retirado para que o melado fique não agregue impurezas. Para torná-lo mais alcalino, costuma-se acrescentar um pouco de suco de limão durante a fervura, outro bom ingrediente para a saúde. Ao atingir uma temperatura de aproximadamente 110 graus, o melado é retirado do fogo, resfriado e embalado, ficando pronto para consumo. #Culinária #Alimentação Saudável